Pessoal,

façamos um salto no tempo: o ultimo post que coloquei aqui foi sobre as experiencias no Leste Europeu, la para setembro/2012. De la pra ca, ja passamos por Noruega (outubro), Turquia (novembro), Africa (novembro), Australia (dezembro, janeiro e fevereiro) e Sudeste Asiatico (março ate hoje).

No entanto, como estou aprendendo muito nessa viagem, nem tudo eh perfeito e sai como desejamos, estou atrasada com esses posts. Mas ja descrevi como foi minha experiencia no Butao, uma pais que eu desejava conhecer desde o inicio do planejamento da volta ao mundo.

Entao, saltemos no tempo e cheguemos a Abril de 2013! Logo, logo, tiro o atraso. prometo. 🙂

Notícias do Butão! O Butão é realmente um país incrível. É muito pequeno, cerca de 700 mil pessoas. As pessoas são agradáveis, as ruas são muito limpas, o desenvolvimento está chegando, mas sem corromper a cultura. O turismo é caro e controlado pelo governo, então também está trazendo coisas boas (mais dinheiro e conhecimento para as pessoas), sem os efeitos ruins.

A natureza é impecável, verdadeiramente bela. Eu fiz varias trilhas, com meu adorável e privado guia Younten.

Sobre o índice de felicidade (FIB – Felicidade Interna Bruta) pelo qual o Butão se tornou famoso: minha primeira impressão é que é verdade. As pessoas se sentem felizes, apesar de o país não ser rico. Mas isto não tem nada a ver com demonstrações públicas de alegria, pessoas rindo por nada. Não. A felicidade que eles têm está profundamente enraizado nas bases da cultura e da religião. Budismo, a religião de 90% da população, tem três aspectos/pensamentos que eu realmente aprecio:

1) O desejo não é bom: ao conversar com o meu guia, ele disse que a população deseja muito pouco. Se eles têm um teto e comida, eles são verdadeiramente felizes. Desejo e apego aos bens materiais impedem que você alcance a iluminação.

2) As situações boas e ruins vão passar, por isso não se apegue a elas. Não fique muito alegre nem muito triste. Tudo vai passar e o que permanece é o aprendizado, a experiência. Sejamos gratos tanto pelas coisas boa como pelas ruins que acontecem, porque estamos aprendendo.

3) Buda representa sentimentos bons, não culpa. Esta é uma interpretação muito particular minha. Não quero desrespeitar qualquer crença. Um aspecto das religiões cristãs que me incomoda é a culpa sempre presente. Nós devemos ser gratos a Jesus porque ele morreu na cruz por nós. E a cruz com o corpo quase morto está sempre presente para nos lembrar disso. No entanto, quando você entrar em um templo budista, a figura mais importante é o Buda sorridente. Ele instantaneamente lhe dá (pelo menos para mim) um bom sentimento. Os seguidores devem seguir os passos de generosidade e compaixão dos sábios, não os adorar ou se sentir culpado.

No final, a conta é mais ou menos essa: menos desejo + menos raiva + menos culpa = mais felicidade.

Com isso em mente, eu sou de alguma forma cética sobre outros países / empresas que importam o índice de felicidade, sem ter raízes culturais semelhantes.

No proximo post, um pouco mais sobre os aspectos sociais e politicos desse pais especial.

Volta ao mundo – Noticias do Butão
Tagged on:         

2 thoughts on “Volta ao mundo – Noticias do Butão

  • April 21, 2013 at 11:02 am
    Permalink

    Que foto magnífica!
    Muito interessante, não conhecia tal país.Já estou pronta para o próximo post.

    Reply
  • September 27, 2013 at 5:58 pm
    Permalink

    MP, parabéns pela jornada e por compartilhar aqui essa experiência sem igual. Estou curioso pela continuação dessa aventura no Butão. Realmente é incrível a dualidade que é um país ser tudo isso que você relatou e pobre ao mesmo tempo.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *